Home / Destaque / Lei Seca flagra mais de mil motoristas embriagados no interior

Lei Seca flagra mais de mil motoristas embriagados no interior

 

Desde o início do ano, a Operação Lei Seca intensifica as ações de fiscalização no interior do Estado do Rio de Janeiro. O objetivo é a redução do índice de motoristas dirigindo alcoolizados na região, que atualmente representa mais que o dobro do número da Região Metropolitana. Este ano, a média de abordados com sinais de alcoolemia na Região Metropolitana é de 4,3%, enquanto no interior este índice chega a 9% do total de abordagens.

No primeiro quadrimestre deste ano, foram realizadas 97 blitzes no interior e 11.660 motoristas foram abordados. Destes, 1.047 estavam alcoolizados. Além disso, 3.592 motoristas foram multados, 531 veículos rebocados e 876 carteiras de habilitação foram recolhidas. Neste mesmo período do ano passado, de janeiro a abril, foram realizadas 79 ações no interior, 9.760 condutores foram abordados e foi identificada embriaguez em 882 motoristas. Ou seja, este ano houve aumento de 22,8% de blitzes da Operação Lei Seca no interior do estado.

“Analisando as estatísticas da Operação Lei Seca, percebemos que no interior muitos motoristas insistem em combinar álcool e direção. Intensificando as ações de educação e fiscalização nesta região, esperamos conseguir alertar a população para que mude seu comportamento e hábitos”, afirmou o tenente-coronel Marco Andrade, coordenador da operação.

Fiscalização

Desde a criação da Operação Lei Seca, 2.858.296 motoristas foram abordados em 20.625 ações de fiscalização e em todo o Estado do Rio de Janeiro. Os números registram ainda que 528.776 veículos foram multados, 102.199 veículos foram rebocados, 176.539 motoristas tiveram a CNH recolhida e foi identificada embriaguez em 185.292 condutores.

Tolerância zero

Conforme a Lei 12.760/12, o condutor sofrerá penalidades administrativas se realizar o teste do bafômetro e for apontada presença de pelo menos 0,05mg/L de álcool no ar alveolar. O motorista é multado no valor de R$ 2.934,70, tem o veículo retido e o direito de dirigir suspenso por um ano. Em caso de reincidência, a multa dobra e passa a ser de R$ 5.869,40. E, caso o índice seja igual ou maior que 0,34mg/L, além destas penalidades, configura crime de trânsito, cuja a pena varia de 6 meses a 3 anos de detenção. Quem se recusa a realizar o teste do bafômetro sofre as mesmas penalidades administrativas do teste positivo.

Da redação da Rádio Itaperuna 96 FM

DEIXE UMA RESPOSTA

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

*